domingo, 11 de março de 2012

Piratas, o terror dos mares:Terríveis Piratas que ficaram famosos



A "arte" sem escrúpulos de roubar, dos piratas. Alguns tiveram até título de Nobreza.

O século 18 foi a época de ouro da pirataria. Mas os ataques piratas são muito mais antigos

1400 a.C.
O mar Mediterrâneo já era palco de ataques a navios fenícios.

500 a.C.
Os gregos se juntam aos bárbaros que moravam ao longo da costa para saquear navios e cidades.

Século 2
Na Ásia, com o fim da dinastia Han, a pirataria se intensifica. Só no século 15 a dinastia Ming consegue controlá-la.

Século 9
Navios mouros ocupam a costa da Espanha e África, saqueando portos e navios.

Século 13
Como o renascimento do comércio, a pirataria se intensifica.

Século 16
Os navios espanhóis, carregados de riquezas do Novo Mundo, tornam-se alvo de corsários – marinheiros contratados por outras potências européias. O comércio entre Europa e Ásia também estimula a pirataria.

Século 17
Os piratas bárbaros do Mediterrâneo começam a declinar. Ilhas pouco povoadas, como Port Royal, na Jamaica, Madagascar, na costa leste da África, e New Providence, nas Bahamas, viram um paraíso para piratas.

Século 18
O governo inglês decide perdoar os piratas, mas suas atividades não diminuem. Afinal, aqueles homens acostumados às guerras não encontram trabalho no continente e acabam voltando ao mar.

Século 19
No começo do século, com as guerras de Napoleão, a pirataria vive uma nova época de ouro. Mas, a partir da segunda metade do século, as perseguições a piratas se intensificam e a atividade começa a declinar.

Piratas famosos

Bartholomew Roberts
Era um honesto marinheiro inglês que se converteu à pirataria quando seu navio foi capturado. Ficou famoso por seu contrato de direitos e deveres, que deveria ser assinado por todos os homens da tripulação.

Edward Low
Cresceu como trombadinha no porto de Westminster, na Inglaterra. Mais tarde, trocou as ruas pelos mares do novo mundo. Ficou conhecido pela maneira sanguinária e pelas torturas que impunha a prisioneiros.

Francis Drake
O corsário inglês foi o autor de um dos maiores atos de pirataria de todos os tempos: em 1575, cruzou o estreito de Magalhães assaltando todos os portos até o Panamá. Foi condecorado como Sir Francis Drake.

Henry Morgan
Durante o século 17, atacou cidades espanholas, onde torturava prisioneiros e membros do clero. Tornou-se governador da Jamaica.

Richard Hawkins
A ambição de Richard, filho do também pirata John Hawkins, era dar a volta ao mundo numa expedição que incluísse pirataria e saques. Em 1603, após dez anos no mar, tornou-se oficial da Marinha inglesa.

JeanFrancois du Clerc
O corsário francês que em 1710 atacou Santos e fracassou na tentativa de tomar o Rio de Janeiro, foi assassinado pelas autoridades no Brasil e enterrado na igreja da Candelária.

Rock o brasileiro
O pirata holandês ganhou o apelido por ter vivido no Brasil, durante a ocupação holandesa. Violento, chegou a assar vivas uma dezena de pessoas só por não saberem lhe dizer onde roubar porcos.

Henry Avery
Virou rei depois de se casar com a filha do soberano mongol, capturada por seu bando num navio indiano. Patrocinava navios piratas que deviam lhe pagar parte da carga roubada.


Barba Negra, vulgo Edward Tech
Um dos mais notórios e famosos piratas de todos os tempos – presente no quarto Piratas do Caribe -, Edward Tech era um corsário a serviço da Coroa Britânica, mas voltou-se para a pirataria e tornou-se capitão do Queen Anne’s Revenge. Cruel e amedrontador, assustava sua tripulação e inimigos ao colocar uma lanterna nas tranças de sua barba, dando a impressão de sua cabeça estar em chamas.
Diz a lenda que Barba Negra escondeu um valiosíssimo tesouro, nunca encontrado por ninguém…





Adaptado da: Revista Aventuras na História

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário